Abdala Likongo ou fantasma da Selva

Abdala Likongo ou fantasma da Selva

Abdala Likongo ou Fantasma da Selva simulou a própria morte e é um dos líderes do Terror em Cabo Delgado   No prosseguimento do escrutinio

Abdala Likongo ou Fantasma da Selva simulou a própria morte e é um dos líderes do Terror em Cabo Delgado

 

No prosseguimento do escrutinio a liderança dos terrorisas em Cabo Delgado, o Centro de Jornalismo Investigativo (CJI) apresenta hoje o perfil de Abdala Likongo. Natural do distrito de Mocimboa da Praia (MdP). Este distrito que é o viveiro de recrutamento (ver aqui) de jovens na Provincia de Cabo Delgado, é o berço de Abdala que é casado, com quatro filhos.

Empreendedor local de sucesso Abdala tem passagem de formação religiosa em escolas do  Quénia e da República Democrátia do Congo. A sua maior façanha foi forjar  sua própria morte para despistar as comunidades assim como autoridades.

‘Likongo faleceu” noticia  divulgada em torno de Mocimboa.

O suposto defunto, ressuscitado, teria sido visto por populares semanas antes das exéquias, antes do primeiro ataque destes terroristas sobre Mocimboa da Praia em Outubro de 2017.

Por ter fingido a sua morte, Likongo acabaria por ser preso pelas autoridades e encarcerado durante uma semana. Mas afinal quem poderia imaginar que a encenação da sua morte não passava de uma tentativa de ludibriar  comunidades e autoridades? Quem poderia imaginar que o defunto teria ressuscitado do mundo dos mortos para tambem liderar a chacina, ataques pelas matas!?  Ninguém poderia cogitar que o também conhecido por Fantasma da Selva seria um dos nativos de MdP estaria nas lideranças dos terroristas!

Em Mocimboa quase fantasma, o CJI ouviu varias fontes segundo as quais, Likongo foi claro em suas palavras sobre o seu periplo ‘sumiço’ sem ocultar que esteve no  Quénia e no Congo a treinar para matar pessoas em Cabo Delgado.

Segundo uma fonte as autoridades fizeram se de ouvido de mercador “ignoraram e deixaram Likongo  encarcerado só por uma semana. ”Por Incrível que pareça, uma semana depois da sua soltura, começaram os ataques os quais foi comandante” .

“Olha que o Likongo foi o comandante dos ataques desde o inicio. Naquele dia vimos ele comandar tudo, vinha numa motorizada de marca Honda XL, com uma arma de fogo, cheio de munições que ragava de balas  todos os cantos por onde passasse gritando o nome Allah Wakibar.”Acrescentou a fonte

“Era ele sim, o Abdala Likongo! Era sim o Abdala Likongo! Sem sombra de dúvidas que naquele dia era ele. Nós o vimos, todos populares que estávamos presentes no dia do primeiro ataque dos terroristas sobre Mocimboa. Vimos a ele e o reconhecemos, até o governo distrital tambem viu, têm conhecimento que Likongo comanda os ataques la nas matas.” Enfatizou a fonte

Reconhecido, identificado, o que aconteceu depois do primeiro ataque? Porque não foi detido e penalizado? E a sua família sabia desse seu plano? São algumas questões de entre muitas questões! Do ‘falecimento’ anunciado, Likongo aparentemente tinha tudo bem orquestrado. “Não sei ao certo mas a princípio, teve alguns familiares ao seu favor. Digo isto porque depois de ter protagonizado o primeiro ataque, dirigiu-se à casa da sua sobrinha que lhe concedeu um esconderijo. Por um tempinho eles o ajudaram a esconder-se das autoridades que o procuraram sem sucesso. Quado a poeira baixou refugiou-se nas matas, embora uma vez e  outra fosse visto desfilando sua classe arredores da vila de Mocimboa da Praia e Macomia, até quando nunca mais foi visto naquelas zonas”.

Para tras Likongo deixou sua família, sua esposa de nome Estah John e os seus quatro filhos. John, crista de origem Makonde convertera-se ao islao antes dos ataques  “Vestia-se como muçulmana e frequentava a mesquita mas depois dos ataques parou de  vestir-se  como uma muçulmana. Estah John trabalhava na administracao distrital de Mocimboa da Praia, ela sabe destes actos, assim como nós sabemos que o marido dela é o comandante dos terroristas lá nas matas. Isto não é segredo para nós de Mocimboa da Praia.”

Pai esposa, filhos  levados a navegar em outra onda, convertera-se no islao por amor ou nao, depois  abdicou das vestimentas, orações. Mas que olhar da mulher, filhos  tendo em conta que o marido é um dos comandantes destes terrorristas la nas matas?

Protegendo os seus!

Os chamados ‘Al-shabab’ locais cresceram perante as autoridades moçambicanas que faziam vista grossa, e da aldeia das famílias, amigos uns tornaram-se terroristas e outros vítimas e outros protegeram os seus.

“Estah John sempre antes de um ataque ela viajava para a cidade de pemba com desculpas de ter algo a fazer. Sempre levava os seus filhos consigo, e de seguida os terroristas atacavam. E,  quando   tudo se acalma ela regressava. Quando quizessem atacar novamente ela voltava a viajar. E sempre foi assim; Isto também não é segredo para nós os de Mocimboa da Praia. Acreditamos que por questões de seguranaca o marido antecipava os ataques para ela e sua familia sairem. Seria tanta coincidencia desde 2017, todos ataques aconteciam depois dela viajar.” Disse a fonte.

Financiamnento

Segundo fontes ouvidas pelo Centro de Jornalismo investigativo de Moçambique, Likongo sempre teve ‘um bom valor’ monetário para as suas actividades. “conheço Likongo e a sua família. Sabe, ele não teve a oportunidade de estudar, batalha como todos nós para sobreviver, de repente ele começou se mostrando como um empreendedor de sucesso a nivel do distrito de Mocimboa da Praia, dono de lojas de venda de pecas de carro, casas de aluguer a nivel distrital, etc e etc.”

Dos meticais pagos a Likongo ou quem custeou  não podemos saber quem especificamente pagou! Infelizmente nao posso responder a essa pergunta porque tenho medo, nao tenho provas sobre o que sei em relacao a esta resposta.Também não sei quem custeio . Mas, afirmo que ele recebeu um valor substancial, e foi bem  instruido a fazer estas viagens. Depois de ter sido dado os milhões, uma parte do valor usou para viajar ate estes dois paises onde  foi treinar no Quénia e no Congo.”

Pelos seus mestres , ensinado no seu melhor “a ser assassino a sangue frio usando o nome de ALLAH sem temor; trazer descordia entre nós os seguidores da religião islámica; instruido a beber o sangue humano para tirar remorsos; cortar como deve ser os órgãos genitais masculinos sem destorcer para o negócio rentavel de quem o dá dinheiro;  aprendeu que as gargantas são rentaveis, tem medidas certas, por isso que ha formas que ele aprendeu e ensina os outros a cortarem sem destorcer para o Mercado,  aprendeu com rins, pulmões e coração;Teve treinamento militar; de  inteligencia e contra inteligencia militar usada por vários grupos de rebeldes que trazem descordia num país; perdeu a humanidade; Aprendeu a lei do charia e trouxe descordia entre nós; em fim senhor jornalista, ele aprendeu muita coisa desumana e errada sobre ALLAH.”

Leão da Floresta e Fantasma da Selva: Maquinas de matar 

Likongo e o jovem Ibn Omar, estiveram fora do país e dominam estas guerras porque foram tornados  maquinas para matar . Eles criaram suas bases, a nível provincial,  fora de Cabo Delgado e do país com apoio dos seus patrões e parceiros internacionais, amizades criadas nos seus treinos. Conseguiram enganar muitos jovens de quase todo Mocambique principalmente de Cabo Delgado, Nampula e Niassa que se aliaram a este grupo. Uns foram manipulados, convencidos que trata-se de um rupo religioso, que teriam bolsas para estudar mais o alcorao enquanto estavao sendo levados para as zonas de treinamento, nas matas de Mocimboa da Praia, la para Mbau, outos em Congo e Quenia, e por fim em Niassa em Murogoro na vizinha Tanzania, outros porque foram raptados e outros entregaram-se por vontade propria.

A lei da “Sharia”

Eram,  segundo  fontes do CJI, Moz faz quase uma decada , que os dittos ‘ jihadistas’’ com conhecimento na altura do governo central em Maputo, que nada ou pouco fez ate hoje com consequências de milhares de pessoas, mocambicanos mortos.  civis , militares, terroristas, números sem os contabilizados , acima de 2000 mortes, na casa dos 300 mil refugiados . Mas todos sabiam ou quase ouviram. “ Repare bem na maneira de vestir, eles se intitulam os melhores muculmanos, usavam as suas calcas cumpridas que dobravam, túnicas  curtas,  no lugar de labeka eles dizem labeika diferente dos Imakuas; consideravam muitas mulheres impuras tantoque as desrespitavam, incluindo suas mães, rezam três vezes ao dia no lugar de cinco, intitulam-se  servos de ALLAH fazendo  justica de DEUS, etc.

 

COMMENTS

WORDPRESS: 0
en_USEnglish
pt_PTPortuguese en_USEnglish