Mocimboa da Praia é o distrito epicentro de recrutamento de jovens pelos Terroristas

Mocimboa da Praia é o distrito epicentro de recrutamento de jovens pelos Terroristas

Por CJI O Centro de Jornalismo Investigativo de  Moçambique (CJI Moçambique) apurou que o distrito de  Mocimboa da Praia é o epicentro de recrutame

Por CJI

O Centro de Jornalismo Investigativo de  Moçambique (CJI Moçambique) apurou que o distrito de  Mocimboa da Praia é o epicentro de recrutamento de jovens para as fileiras dos Terroristas que actuam em Cabo Delgado há mais de 2 anos. Tendo como ponto de partida o aprofundamento do comandante dos ataques Ibn Omar, ou seja Bonomade Machude Omar ou Leão da Floresta como é conhecido por seus colegas Al Shabaab, este que é o cabecilha procurado pelas autoridades desde o início desta guerra. Os ataques dos alegados Jihadistas do Al Shabaab, que vêm atacando a Provincia de Cabo Delgado no Norte de Moçambique ,desde 5 de Outubro de  2017, já féz várias vítimas humanas deixando assim muitas crianças órfãs, mulheres e homens viúvos sem contar com a destruição de casas, escolas, hospitais, machambas, mercados e outras infraestruturas do governo e individuais.Acompanhe atentamente a conversa abaixo, entre residentes de Mocimboa da Praia e a equipa de reportagem do CJI.

 

  1. Conheces Bonomade Machude Omar?

Não conheço.

 

  1. Viste o video dos insurgentes? Aquela reunião que foi realizada em Mocimboa da Praia entre população e os terrorristas?

Sim vi…

 

  1. Então refiro-me ao jovem que foi orador daquele encontro. Conhces?

Aquele eu conheço, o Ibin Omar. Sim o conheço. Todos aqueles são daqui  Mocimboa da Praia, a maior parte nesse caso. Mas não são daqui da vila sede de Mocimboa da Praia. Mas eu os conheço a todos. Aqueles jovens simplesmente aparecem aqui na vila fazem os seus desmandos e saem para a suas zonas. Embora existem um e outro membros residentes aqui na vila, e não se mostram como membros integrantes, más nas noites temos visto a sairem mascarados para la na base deles.

 

  1. Onde fica essa base? Conheces?

Não conheço a base, más todos sabemos que eles têm feito seus encontros la na zona do Milamba e Nanduadua, daí vão as matas. Aqui chamamos Milamba de base deles porquê têm aceitação  do povo daquele bairro.la encontram-se a vontade.

 

  1. Onde é que vivem a maioria deles?

 

A maioria vivem no bairro do Milamba e Nanduadua, como disse a posterior. Esses dois bairros principalmente o Milamba é praticamente governado por eles, aquilo já é  deles. Esse bairro é muito deles…nós chegamos lá uma vez à outra, durante o dia, mesmo assim questionam se estamos a ir lá para tirar informações e dar ao governo. Por isso vamos com pouca frequência. Eles são assustadores.

 

  1. E se eu for para la, eles vão me pegar, ou simplesmente vão fazer-me muitas questoes para saberem o que quero nessas zonas? Afinal sou jornalista e quero entrevista-los…

 

Sera difícil falar com eles, só posso ti mostrar assim de longe que aquele mais aquele fazem parte do grupo. Ir lá contigo não posso porque tenho medo. Ainda quero viver!

 

  1. Tens algum contacto deles? Quero ligar para eles marcando uma entrevista…

 

Eu não tenho contacto deles, os saudo para desfarçar, tenho de sorrir um pouco com eles, conversar por uns 5 minutos e prontos ,regressar á casa. E se você for lá, bonita assim não sei, não quero viver com peso na consciência por ter ti entregue nas mãos dos bandidos. Vou te mostrar alguns assim e longe para simplesmente os veres, e não fales com ninguém, não saude quem não ti saudou, e usa roupas islamicas tire as calsas de jeans.

 

  1. E vão partir meu BI?

 

Não leve BI, leve seu credencial de Jornalista. Se és do jornal Notícia, rádio Moçambique e TVM você não volta, porque são do governo e não  gostam do governo.

 

  1. Sou jornalista do CJI Moçambique e vim fazer meu trabalho,

 

Se for assim tudo bem, podemos ir a vontade. Deixa que eu fale primeiro e não pergunte muita coisa. Eu ainda quero viver.kkkkkk, esses jovens assustam sra jornalista.Trata-se de um bairro onde sairam muitos jovens e juntaram-se com eles lá nas matas.

 

  1. As pessoas sabem disso?

 

Sabem sim, todos têm conhecimento de que fulano e fulano estão no mato e são membros do terroristas do Estado Islamico. Alguns fazem ida e volta outros desde que saíram antes dos ataques ainda não regressaram às  suas casas .

 

  1. Tem certeza que todos conhecem os Al Shabaab de Mocimboa da Praia?

 

Tenho certeza absoluta. Nós conhecemos a todos, sejam da vila assim como os dos bairros Milamba e Nanduadua.

 

  1. Os chefes dos bairros sabem disso? Qual e o posicionamento deles?

Sabem disso, conhecem as pessoas, mas têm  muito medo dos Al Shabaab. Se eles mostrarem muita preocupação podem perder a vida. Sabe senhora jornalista, os chefes dos bairros, quarteiroes, vivem ao redor dos Al Shabaab, estão mesmo lá na zona deles, vivem com constantes  ameaças. Por isso que  ficam calados.e olha que nem têm a coragem de dizer que vivem ameaçados e podem vir a desmentir isso. Estão todos dominados pelos Al Shabaab.

 

  1. O Governo provincial e distrital têm conhecimento disso? Vocês como moradores já apresentaram este assunto as autoridades?

 

O governo conhece este assunto. Sabem que nos bairros Milamba e Nanduadua 90% dos jovens, para nao dizer todos jovens estão filiados aos terrorristas Jihadistas denominados por Al Shabaab. Sabem que eles têm feito ataques e matam pessoas. Também conhecem os jovens que fazem isso.

 

  1. O que fazem para combater este problema nesses bairros?

 

Senhora jornalista, não posso responder em nome do governo, porque eu como residente em Mocimboa da Praia nao vejo nada. A maioria do governo distrital fugiram daqui, policias e militares têm tido muitas baixas com grupo, e ambos compartilham as fardas. Como confiar no governo assim? Se eles é que dão as fardas para nós morrermos.

 

  1. O que os Al Shabaab fazem nessas zonas onde consideram deles?

 

Eles fazem patrulha durante a noite, principalmente no bairro Milamba. Procuram saber se tens documentos, revistam as carteiras, quando acham seu documento eles rasgam ou partem. Eles dizem que ”são essas coisas de KAFIRI que  eles não querem”.

 

  1. As pessoas não devem ter documentos?

 

Sim. Para eles, as pessoas  não devemos ter documentos.Isso são coisas de politicos mentirosos, descrentes, pessoas infiéis.

 

  1. O Governo sabe disso?

 

Sim, o governo sabe. Tem esse conhecimento porque comunicamos as autoridades locais, e como morradores daqui eles sabem disso, e eles vêm as coisas á acontecerem.

 

  1. As FDS, têm feito patrulha?

 

Os nossos militares fazem  patrulha, mà s não chegam nessas zonas, das poucas vezes que lá chegam tem sido durante o dia, porque de noite eles têm medo. Nunca passam por aquelas bandas durante a noite, sabem que Milamba é dos Al Shabaab.

 

  1. Como é a convivência entre a população e os jovens filiados ao terrorismo?

 

Como assim? Se eles também  são população…eles apoiam esses actos, gostam dos Al Shabaabs. Durante a noite eles andam a vontade e sabem que  são protegidos pelos  terroristas. Ali estão os filhos, maridos, sobrinhos, visinhos, e têm a mesma crença. Estão convencidos de que esse é o certo.

 

 

  1. Voltemos ao assunto da tal patrulha feita pelos Al Shabaab no bairro Milamba, que tipo de equipamentos usam na sua actividade?

 

Eles usam a farda militar das nossas forças, usam armas de fogo, catanas e facas. Alguns deles usam mascaras. Eles andam com aquelas fardas da FADM com muito estilo, e muitos fazem confusão com os nossos militares. Por isso que existem informações a dizer que os militares, fizeram patrulhas numa zona daí levaram bens da população, enquanto não são  eles.

 

  1. Como é a quarentena nesses bairros onde a liderança esta nas mãos dos bandidos?

 

Não  hà  quarentena. Eles disseram a população que esse decreto do Presidente da Republica de Moçambique Filipe Jacinto Nyusy,  não serve para aquelas comunidades, Nyusy não  nos dá ordens e nem decretos, aqui não existe isso. Entretanto, disseram as comunidades que a actividades continuam naturalmente, excepto as aulas uma vez que eles não se importam com escola não sentem falta da mesma, e muitos profesores estão ausentes naquele distrito. As  mesquitas e mercados funcionam naturalmente. Todos vão as mesquitas porque é uma ordem de Al Shabaab nao ficar em casa.

 

  1. É verdade que estão a ser obrigados a rezar 3 vezes ao dia para além de 5?

 

Sim é verdade, aqui apenas rezamos 3 vezes porque assim fomos intruidos pelos Al Shabaab que comandam aqui em Mocimboa da Praia principalmente bairro Milamba.

 

  1. O Governo sabe disso?

 

Obviamente que sabe.  As mesquitas continuam aberta normalmente e não há quem não saiba disso.

 

  1. Eles ganham dinheiro?

 

Sim ganham, têm regressado das matas com valores para casa das familias.

 

  1. Eles dizem quem lhes da dinheiro?

Não dizem, até agora tentamos investigar quem manipula os nossos filhos e até então sem sucesso. Conhecemos os chefes que estão no mato. O grande patrão, não conhecemos o patrocinador deles. Estamos a ver assim mesmo. Desde 2017 e não sabemos mais nada.  Mesmo esses que estão no mato não são todos que conhecem o grande chefe.simplesmente foram recrutados por peixes pequenos que não confiam neles por isso não sabem quem os paga.parece que há um juramento lá no treinamento deles.

 

Naquele dia da reunião com a população muitos dirigiram-se a casa das suas famílias, uns tinham os tido como mortos, desaparecidos, naquele dia mostraram-se. Houve muita emoção, eles  diziam:” papá e mamã não chorem, eu estou nessa guerra, e vamos vencer”.Diziam eles. Deixaram dinheiro e alguns produtos alimentares em casa dos familiares.

 

Lá no bairro Milamba, todos dias ha voluntarios para as matas.

 

  1. Como assim voluntários?

 

Sim pessoas que querem estar naquele grupo por vontade própria. Pedem aos membros intergrantes para se juntarem ao grupo e logo são aceites. Por isso que eles cada dia que passa o nùmero de Al Shaabab tende á aumentar.

 

  1. Isso está cumplicado ainda. As famílias aceitam o dinheiro na maior tranquilidade?

 

Sim, porque não! A senhora jornalista sabe que dinheiro fala todas as linguas, aqueles bandidos compraram telefones e abriram mpesa para mandar dinheiro as suas familias, eles estando no mato.

 

  1. Tens algum número dessas famílias que recebem via mpesa, dinheiro deses bandidos?

 

Nao tenho,  não quero correr o risco de pedir número de familiares deles e ser desconfiado. Mas todos sabemos disso.Ouvimos e ficamos quietos. Quando estamos a ver, fingimos que não vimos nada e dessa forma evitamos ter problemas. Temos muito medo deles.

 

  1. Não tem vindo estrangeiros por aqui, falar com os Al Shabaab?

 

Aparecem, aqui hà  muitos estrangeiros. Temos visto aqueles tanzanianos, nigerianos e uns que parecem da Somália. Essa equipa é muito grande e têm muita forca para combater.

 

Depois desta pequena conversa com naturais e residentes em Mocimboa, província de Cabo delgado, a equipa de reportagem do Centro de Jornalismo Investigativo de Moçambique entrou em contacto com uma fonte no Niassa, com colaboração de jornalista de alguns colegas de uma rádio comunitária naquele ponte do país. Trata-se de um membro, aliás, o primeiro membro recrutado para o grupo de bandidos armados que actuam em Cabo Delgado. Este que foi recrutado em Niassa no ano de 2007, como conta na primeira pessoa à nossa equipa.

 

  1. Conte-nos a sua história, a sua relação com os primeiros Al Shabaab a entrarem em Mocambique.

 

Estava com eles desde 2007, fui levado para ser empregado doméstico, mas caso particular nas lojas. Sempre que aparecesse um Somalis, eu era mandatado para dar dinheiro a eles e de seguida eles abriam suas baracas, por causa da confiança que tinham comigo, eles disseram que pretenciam matar pessoas, foram sinceros comigo quando disseram que eles são Al Shabaab, disseram que não pretendiam casar ou formar familias aqui em Moçambique o que lhes interessava era apenas matar pessoas impura, descrentes do Islamismo. Passaram em Niassa, Nampula, Cabo Delgado, em muitos distritos onde eles passaram a recrutar pessoas e eu andava com eles até fora do país fomos juntos e sempre diziam a mesma coisa e enfatizavam ainda que as  pessoas de Cabo Delgado são muito burras, não sabem nada, lá há muita riqueza, os naturais não estão a saber fazer o devido uso, nòs queremos essas riquezas. Tive medo de ir a polícia denuncia-los, iriam matar-me, e toda minha familia também. Na minha familia uma vez que não sabiam de nada, sempre que eu viajasse regressava da mesma maneira, ja estava a ficar abatido, magro de tanto pensar e diziam que estou doente, outrora diziam que sou burro porque não sei aproveitar as oportunidades de crescer na vida. Se estou vivo ate hoje, dou graças a Deus porque tem me guardado até hoje.

 

  1. Onde està a base deles?

 

A base deles está em Cabo Delgado, esse lado de Megomano, para quem vai ao rio Rovuma, eles entraram apartir de Tanzania e claro, há Tanzanianos, Congoleses, Ugandeses, Senegalenses envolvios. Eles têm uma aldeia por eles formada no meio dessas matas. Quando tu entras naquele lugar até parece que estas numa aldeia grande, enquanto é base dos Al Shabaab. É la onde deixam todas as pessoas por eles raptadas, sejam crianças raptadas, mulheres e jovens.

 

  1. Que mecanismos usaram para recrutar pessoas?

 

Para recrutarem pessoas eles abriram muitas mesquitas, outros simplesmente filiaram-se nas mesquitas, foram rezando por um bom tempo depois começaram a criar grupinhos nas mesquitas, criaram intimidades,depois foram  induzindo com doutrinas radicais e extremistas do Alcorão, assim foram recrutarando para o Al Shabaab, e agora estão aí a atacar.

 

  1. Como é que voce sabe diso?

Eu escutava tudo, era empregado doméstico, de confiança deles, afinal, fui o guia deles e o primeiro a ser recrutado como empregado.

 

  1. Onde estão localizadas as suas lojas?

 

Aqui em Niassa estão localizados no mercado Central, lá  têm suas lojas, toda essa rua até proximo ao hotel Singea, nesse lado existe um que fez um armazem onde vende-se ferros, chapas de zinco, cimento, o proprietário disso também fáz parte desse grupo de Al Shabaab. Là  em Mandimba também existem. Olha, são muitos membros do Al Shabaab, estão la em Chowe, Caia, mandaram fazer take ways, ate no rio save. E eles fazem da seguinte forma, são rotativos, trabalham 2 anos saem e vem outros. Tudo para sustentar a guerra.

 

  1. Porque a guerra em Moçambique? Porque Cabo Delgado?

 

Estão a lutar para ter o nosso dinheiro, pedras preciosas, ouro, pescoços, gargantas, ossos humanos, órgaos genitais humanos, vendem para ter dinheiro para eles sustentarem a guerra em Mocambique e outros países. Eles querem as riquezas naturais de Mocambique para eles como fazem em todos paises. E para eles comerem também-

 

  1. Como assim pedras preciosas? Pode exclarecer um pouco sobre isso?

Naquele grupo de garimpeiros ilegais eles estavam aí nesse grupo, quando o governo os expulsou tudo foi a baixo. Sabe, eles mandaram muitos Moçambicanos ao estrangeiro para estudar o Alcorão com intuito de ter extremistas nacionais. Muitos deles de Cabo Delgado e Nampula e Niassa. Nessas zonas há muitos Muçulmanos que dão muito prestigio aos tanzanianos e Nigerianos e quenianos. E foi através desses que houve muita aderencia ao Al Shabaab, é muito proximo da Tanzania principalmente porque aquelas zonas é de Muçulmanos e muitos falam Suahili e admiram a vizinha Tanzania. E as teorias do Shek Aboud Rogo eram mesmo uma entrada perfeita para recrutarem jovens ingenuose religiosos.

 

  1. E verdade que eles têm curandeiros nos seus actos para não serem encontrados pelas autoridades?

 

Têm curandeiros muito potentes de Moçambique la para Palma, e outros de Tanzania e Quenia. De tudo que eles fazempassam primeiro por curandeiros, dizem para que tudo corra do jeito que eles querem.

 

  1. Ja viste alguem do governo moçambicano com esse grupo?

Sabe senhora jornalista, eles não entrariam no nosso país sem alguém abrir as portas. Vou mostrar-te as bases com muita calma. Mas saiba que são pessoas muito perigosas e têm  aliados de poder aqui em Moçambique.

 

Os Somalis de que me refiro têm algumas bombas de combustiveis que eles acabam de compar aqui em Niassa e sustentam a guerra em Cabo Delgado. Aqui em Niassa é uma das logisticas dos Al Shabaab. Veja essas bombas de gasolina:Global Petróleo, Sky Petróleo, e Mera. Onde uma esta em Cuamba e as outras 5 na cidade de Lichinga, a ultima bomba deles compraram de Sul Africanos apouco tempo, estão localizadas no bairro Sanjala, e neste momento em construção.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
pt_PTPortuguese
en_USEnglish pt_PTPortuguese